O Mutirão é uma criação-construção coletiva, fruto da urgência em concretizar um sonho partilhado por uma comunidade de afetos e artistas.

Partimos do que temos, com quem está, como podemos! E com este gesto, construímos um percurso, uma casa-cena, abrigo de uma reflexão/ação que mergulha no encontro entre pessoas, bailarinos, construtores, arquitetos, técnicos de produção, encenadora, instituição cultural e público de todas as idades.

QUERES FAZER PARTE DESTE MOVIMENTO E DAR CORPO A ESTE SONHO?!

O Mutirão já existe e vai estrear na Culturgest, em Lisboa, Portugal. Vai acontecer todos os sábados do mês de Junho e no primeiro sábado do mês de Julho de 2017, no Jardim desta importante Fundação, às 16h.

O Mutirão já foi semeado e plantado e alimenta-se já de algum adubo financeiro consistente, é co-produzido pela Culturgest, e tem o apoio da GDA (Gestão dos Direitos dos artistas). Contudo, ainda pode crescer e solidificar as suas raízes, permitindo que aconteça nas melhores condições possíveis para a sua equipa (produção, etc).

Acreditamos assim estar a promover desde agora voos mais altos, participando na valorização do conhecimento/partilha pela arte e na construção dum novo paradigma colaborativo, filosofia desta nossa criação artística em rede.

Convidamos-te a fazer parte desta recolha, contribuindo com o investimento que te é possível e que tens vontade de doar.

A casa-cena em questão, onde o espetáculo vai acontecer, é feita a partir de materiais recuperados do armazém da Culturgest como papel, cartão, tubos, lonas, restos de madeira e etc. A tua participação neste crowdfunding pode, por exemplo, permitir-nos angariar outro tipo de materiais que não estão disponíveis no lixo da Culturgest e que possam ser importantes para ajudar a colocar a nossa casa de pé.

Temos várias formas de agradecimento pela tua generosidade! O teu nome num “tijolo”, uma mês de aulas de dança contemporânea grátis com um dos artistas do LAGOA, uma fotografia do espetáculo com dedicatória, uma performance à tua medida...

Sobre o promotor: 

O pilar desta criação é o encontro entre a dança e a arquitetura. A sua transdisciplinaridade exige uma equipa diversa de profissionais com capacidades distintas. A equipa técnica e artística do Mutirão é composta por 9 pessoas. Somos profissionais da dança com competências em teatro, filosofia, biologia e antropologia; técnicos de arquitetura com uma longa experiência em ecoconstrução e cenário pós-desastre e contamos ainda com uma encenadora experiente e com destaque no atual cenário das artes performativas.

A direção do projeto é de Mariana Lemos, bailarina e professora com larga experiência em gestão de projetos socio-artísticos em Lisboa. Márcia Lança é performer e coreógrafa, com destaque no cenário Europeu, traz também as suas qualidades de construtora de cenários ao MUTIRÃO. Sara Jaleco é investigadora e criadora, bailarina e bióloga especializada em educação somática pelo movimento, sendo uma das artistas pilares da criação deste trabalho. Simon Deprez e Eléonore Labattut, arquitetos especializados em cenários pós-crise, capazes de criar em condições adversas, redimensionar o imaginário geográfico e desenvolver estratégias para o ordenamento do território, com experiência na criação de cenários para teatro e dança. Etienne Gentil é mestre de obras em França com uma longa e complexa experiência em ecoconstrução em terra, madeira, pedra e palha. Recupera património público, concebe, elabora e concretiza projetos de construção numa abordagem de ecologia humana. Lysandra Domingues, investigadora e produtora cultural faz a gestão humana e logística da nossa criação com muito brilho. A coreógrafa e bailarina Ainhoa Vidal encena os corpos e os espaços criados nesta construção coletiva. As suas criações circulam no atual cenário de artes performativas de Portugal, e sua experiência traz rigor, complexidade e clareza à materialização deste objeto artístico.

Orçamento e prazos: 

Apesar da concretização deste projeto não estar em causa se não alcançarmos os objectivos desta campanha, a captação do valor proposto permitir-nos-á uma remuneração mais justa e adequada de alguns membros da equipa e um leque maior de materiais e figurinos disponíveis.

O mutirão conta com o apoio da Fundação GDA e está a ser co-produzido pela Culturgest. Com esses dois apoios, conseguimos cerca de 10 mil euros que estão distribuídos entre: 

  • Cachê do Elenco/criadores;
  • Assistente de Encenação;
  • Coordenador da construção;
  • Arquitetos.

Contudo, precisamos ainda captar 5 mil euros para cobrir as despesas com:

  • Cachê da direção de encenação;
  • Material e Execução Figurino;
  • Material cenográfico;
  • Custos de produção e material gráfico.

A nossa meta é ter o espetáculo pronto no dia 15 de maio e a  primeira temporada já está com bilhetes à venda para os dias 03, 10, 17 e 24 de Junho e 1 de Julho.

Imagens: