A ideia de criar esta campanha surgiu com a vontade de dar continuidade à promoção do teatro clássico português, amplificando e diversificando as formas de o dar a conhecer, de modo a chegar ao maior número possível de pessoas de todas as idades.

O Teatro Maizum é a única companhia de teatro portuguesa que tem representado o repertório teatral clássico português, de forma coerente e continuada, com espectáculos de referência e outras iniciativas de estudo e divulgação que têm chegado ao conhecimento do grande público e têm tido o apoio de prestigiadas entidades.

Destacamos as encenações das comédias Eufrosina e Ulysippo de Jorge Ferreira de Vasconcelos e a dramaturgia de textos de Luís de Camões ou Padre António Vieira. Em 2008, o programa CLÁSSICOS NA BULHOSA, um encontro entre actores, público e especialistas e mais recentemente o ATELIER DE TEATRO RENASCENTISTA PORTUGUÊS na Fundação Calouste Gulbenkian, bem como o trabalho interdisciplinar que envolveu o V Centenário de Jorge Ferreira de Vasconcelos, em 2015. Em 2016 deu-se início à primeira edição dos Clássicos em Cena, no Centro Mário Dionísio – Casa da Achada, onde se apresentou ao público três grandes textos do teatro português, Comedia Ulysippo, Os Vilhalpandos e Comédia O Cioso. O projecto para este ano visa dar continuidade a este labor de divulgação da dramaturgia portuguesa.

De forma a concretizar esta segunda edição dos Clássicos em Cena precisamos reunir meios que possibilitem dignificar e dar visibilidade a um trabalho de criação e investigação que tem vindo a ser feito ao longo de muitos anos, em torno da consolidação do teatro clássico português e de uma dramaturgia em língua portuguesa. Em particular, para esta festa dos clássicos a realizar em Novembro de 2017, precisamos ainda de 3.000 euros, para a poder apresentar ao público.

Porquê financiar este projecto?

Este projecto pretende manter viva a herança teatral portuguesa, defendendo o direito de poder sentir em português, e de pensar e enunciar a arte, a ciência, a cultura, a contemporaneidade e o futuro em língua portuguesa. Se não formos nós, quem irá interessar-se pela língua e cultura portuguesa, e consequentemente pela nossa mundividência?

Quais as vantagens para si?

Para além dos diversos materiais que serão dados de acordo com a respectiva contribuição, e de poder assistir e participar na Festa dos Clássicos, os nossos financiadores serão parte integrante de uma comunidade artística e cultural que acarinha e celebra o teatro português, e que através de uma vivência de cidadania activa pretende apoiar o Teatro Maizum e o seu projecto de concretizar e consolidar uma Casa permanente para a dramaturgia em língua portuguesa e para o Teatro Clássico Português.

Sobre o promotor: 

O Teatro Maizum tem privilegiado figuras e obras fundamentais da Cultura Portuguesa cuja divulgação e teatralização tem sido a prática desta Companhia ao longo dos seus 35 anos de existência.

A divulgação e valorização dessas obras e desses autores tem corporizado um projecto de Teatro Clássico, uma proposta artística que integra os níveis estético, literário, filosófico e científico. Um trabalho multidisciplinar feito espectáculo, pressupondo a vontade de "olhar o passado, para deixarmos iluminar as realidades do presente". Uma viagem entrecruzando o Teatro, a Literatura e a História, através de textos clássicos esquecidos e de outros textos reveladores da identidade cultural portuguesa.

Este caminho de reconhecer os clássicos como nossos contemporâneos, interpretando-os e interpenetrando-os com a realidade presente, tem-nos conduzido ao desenvolvimento de um trabalho de reflexão envolvendo a pesquisa, a descoberta, a experimentação e a criação teatral, especialmente a partir da dramaturgia portuguesa do século XVI, cuja finalidade tem sido mostrar as virtualidades teatrais desse repertório, bem como inter-relacioná-lo com as fontes greco-latinas numa perspectiva da herança cultural europeia.

Orçamento e prazos: 

Orçamento

Materiais de apoio (Textos de apoio, fotocópias e encadernações) - € 100,00

Adereços e figurinos (Apontamentos) - € 150,00
Postais, folha de sala e Cartazes (Papel + impressão) - € 300,00
Espaço de ensaios - € 300,00
Técnico de som (cachet) - € 200,00
Actores (Cachet Simbólico 15x€ 100) - € 1.500,00
Captação videográfica - € 300,00
Comissão BOABOA - € 150,00

Total - € 3.000,00

O Evento realiza-se de 25 de Novembro a 02 de Dezembro na Livraria Sá da Costa. Os ensaios vão iniciar-se no início de Outubro. A montagem realiza-se na 2ª quinzena de Novembro.

Calendarização

Dia 25: 18h30 – Inauguração da Exposição Jorge Ferreira de Vasconcelos: Um Homem do Renascimento

Dia 26: 16h00 – Lançamento do livro “Dramas Imperfeitos”, de Silvina Pereira

Dia 27: 18h30 — 20h00 - Leitura pública encenada - Auto da Natural Invenção + Conferência

Dia 28: Hora a definir – Ensaio aberto

Dia 29: 18h30 — 20h00 - Leitura pública encenada - Auto dos Sátiros + Conferência

Dia 30: Hora a definir – Ensaio aberto

Dia 01: 18h30 — 20h00 - Leitura pública encenada - Auto de El Rei Seleuco + Conferência

Dia 02: 16h00 — 22h00 - Leitura Pública da trilogia + Festa dos Clássicos/Tertúlia + Concerto.
16h00 – Leitura Auto da Natural Invenção
Interlúdio musical
17h30 – Leitura Auto dos Sátiros
Interlúdio musical
19h00 – Leitura Auto de El Rei Seleuco
Interlúdio Musical
20h30 – Tertúlia / Festa dos Clássicos / Concerto

Imagens: